sábado, 28 de novembro de 2009

Dançaterapia: Novos Recursos – Parte 3

Fundamentada na metodologia criada pela bailarina argentina María Fux e na transpessoalidade, a Dançaterapia busca utilizar os recursos artísticos, educacionais e terapêuticos da dança para auxiliar pessoas a encontrar novos caminhos e superar os desafios descobrindo seu corpo. Ela tem o propósito de promover reabilitação através do aumento da consciência corporal.

Em Dançaterapia trabalha-se o movimento para transformar a rigidez do corpo em elasticidade. Segundo a Mestra Elena Cerruto,ilustre Dançaterapeuta italiana reconhecida na Europa por seu vasto trabalho desenvolvido com a dançaterapia na área da saúde,essa é uma abordagem corporal que faz uso terapêutico da dança e do movimento, e é um instrumento simples e poderoso que permite, através de um gesto, melhorar o próprio modo de ser e estar, física e mentalmente no mundo.

E o que é que a Fisioterapia tem a ver com isso?

A dança e a fisioterapia podem contribuir para compensar determinada deficiência aumentando a capacidade funcional do individuo. Associar movimentos da dança a nossa prática terapêutica é com certeza uma forma divertida e alegre de promover ganhos na coordenação motora,no equilíbrio,na capacidade aeróbica e na amplitude de movimento principalmente se for uma atividade desenvolvida em grupo.

E não precisa ser nenhum expert em dança para criar uma sequência de movimentos que promova tudo isso. E a dançaterapia se aplica em várias situações: pacientes com bursite reclamam da dor constante mais a união da música com a dança pode levar a ganhos surpreendentes de amplitudes. O mesmo se aplica a portadores de fibromialgia,pacientes com baixo nível de depressão e pacientes neurológicos.

Uma aplicação bem legal para a dançaterapia é pra quem atua no PSF, onde nem sempre temos das prefeituras da vida os recursos desejados, a variedade de patologias é grande e o número de pacientes também.Formar grupos com problemas semelhantes e desenvolver uma sequencia de movimentos adequada a cada objetivo pode tornar o trabalho e a reabilitação bem interessantes.

Enfim a dançaterapia pode ser um diferencial em suas sessões tornado-as alegres divertidas e diferentes. E não pense só em ritmos clássicos como o samba, experimente o Hip Hop,a salsa, o mambo,o dance pois cada ritmo desses estimula o cérebro de forma diferente.

E essa combinação dá tão certo que o Instituto de Dança, de Antônio Carioca no Rio de Janeiro, colocou o professor de dança e o fisioterapeuta para juntos proporcionarem a DançaFisio,para jovens da terceira idade com o objetivo de proporcionar ganhos na coordenação e na amplitude de movimento.

E a dançaterapia não precisa ser restrita a clínicas e ambulatórios pode ser utilizada em hospitais também. Imagine: pacientes numa enfermaria,adulto ou infantil, que não podem sair da cama ,mais que podem ficar sentados fazendo movimentos com o braços e as mãos ritmados com a música,adeus baixa capacidade respiratória e acúmulo de secreção.

Como eu digo sempre, você é fisioterapeuta, és criativo por natureza, com certeza você vai encontrar uma forma de utilizar a dança para incrementar sua reabilitação tornando-a um sucesso ainda maior.

2 comentários:

  1. Para ser um instrutor de dançaterapia é preciso ser formado em fisioterapia?

    ResponderExcluir

Críticas e Sugestões são bem vindas, mas existem regras:
Sem ofensas, palavrões ou expressões que ataquem a imagem da Fisioterapia ou do Fisioterapeuta
Texto escrito em português porque se vc eh uma dakelas pixoas ki teclum axxim meu sistema fica nervoso só de olhar.
Comente Sempre!
E se quiser falar diretamente comigo:papodefisio@gmail.com